Dicas de como dirigir sem stress em Orlando.

0
6058

É muito bom explorar as organizadas e limpas ruas da cidade de Orlando
A melhor maneira de se locomover em Orlando é alugando um carro, mas muita gente ainda tem um pouco de receio de sair guiando em um país que não está habituado. Por esse motivo vou dar umas dicas pra você poder curtir ainda mais seus dias em Orlando.

Leis de trânsito Americanas:

A legislação de trânsito nos EUA difere muito pouco do que temos no Brasil, então não fique preocupado em tomar multas por coisas que você também não faria nas ruas do nosso país. Apesar disso, algumas considerações são importantes na hora de dirigir por Orlando:

Velocidade: nos EUA a medida de velocidade oficial é a MPH (ou milhas por hora) e não quilômetros por hora como estamos acostumados. Isso não é um problema pois a velocidade máxima marcada nas placas ao lado das rodovias, é também a mesma marcada pelo velocímetro no painel do carro. Em geral, as velocidades máximas variam entre 55 a 70 mph (90 a 105 km/h) nas rodovias e de 20 a 30 mph (32 a 48 km/h) em áreas residenciais.

velocidade

Faróis: a regra por lá é igual a daqui: ao cair a noite, o uso do farol baixo para dirigir é obrigatório.

Conversão a direita: uma particularidade nos EUA é que mesmo que o sinal esteja vermelho, se você estiver na faixa da direita, você pode virar a direita sem nenhum problema, desde que não tenha nenhum outro carro vindo de outra direção. Em algumas esquinas, você ainda vai encontrar placas dizendo que a conversão é proibida no “red light”, mas se não tiver essa placa, pode seguir e virar a direita livremente.

DUI: assim como no Brasil, dirigir sob influência de álcool bem como qualquer outra substância, o chamado DUI (driving under the influcence) é considerado crime nos EUA então pense duas vezes antes de tomar aquela cerveja e pegar o carro depois.

Idade para dirigir: nos EUA, cidadãos americanos acima de 16 anos podem tirar habilitação para dirigir, porém as locadoras nos EUA não alugam veículos para menores de 21 anos. Os que tem entre 21 e 24 anos também pagam uma taxa extra para alugar um carro (em geral de $25 dólares/dia).

Habilitação: A nossa CNH comum é válida para dirigir nos EUA. Não é necessária a emissão da carteira internacional.

Estacionamento: sempre fique atento às vagas reservadas para portadores de necessidades especiais. As multas nesses casos podem ser bem salgadas. Nos EUA, quase nenhum carro possuí placa na frente, somente atrás. Se esse for o caso do carro que você alugar, tome cuidado para não estacionar de ré (portanto escondendo a placa), pois isso pode lhe render uma multa.

Sinalização: As placas de trânsito do mundo são feitas para serem entendidas por todos então é meio que de praxe saber que o número em uma placa na beira da estrada, provavelmente faz referência ao limite de velocidade permitido para dirigir ali.

U-Turn: Os U-Turns mostram a facilidade em se viver e dirigir nos EUA. Em Orlando, quase todas as avenidas tem os famosos U-Turns, em que você entra a esquerda em um recuo para virar para o outro sentido. O mesmo é permitido nos semáforos, a não ser nos casos em que há uma placa de U-Turn, com uma faixa proibindo a manobra.

no-u-turn

Only (seta na rua): isso não é tão novidade por aqui, mas nos EUA é altamente respeitado. Veja bem: as vezes você está em uma rua com 4 faixas e muito trânsito. Os carros se enfileiram nas 3 faixas da esquerda mas a 4ª faixa, a da direita, está vazia. Então você decide pegar o atalho por ela e quando chega lá na frente, é uma faixa exclusiva para quem vai virar a direita. Essa informação foi para contar que nos EUA, é importante prestar atenção na sinalização das placas e das ruas, para que você sempre entre nas faixas corretas. Passou? Não fique nervoso pois logo a frente você irá encontrar um U-Turn e conseguir fazer o retorno.

Dirigir em Orlando é muito tranquilo. As ruas são largas, muito bem asfaltadas, é difícil encontrar buracos e os motoristas são educados e calmos (mas sempre tem os turistas né?). Em geral, as velocidades são respeitadas e não se corre muito nem nas ruas nem nas estradas.

Dirigir um carro automático
Uma das principais particularidades dos EUA é que os carros em sua grande maioria são automáticos. Apesar dos carros automáticos tenham começado a ficar mais populares no Brasil nos últimos anos, muita gente vai dirigir um pela primeira vez quando chega nos EUA. Todos os carros alugados vão ser com câmbio automático.

No fim das contas, o carro automático é muito mais fácil de dirigir e depois de alguns quilômetros rodando, você pega o jeito. O câmbio é dividido nas seguintes letras:

P (modo parking ou estacionamento/parado) que é necessário para estacionar o carro. Se o câmbio não estiver no P, você não consegue dar partida no veículo.

R (modo reverse ou marcha ré) que não necessita muita explicação. Em geral, por uma questão de segurança, essa marcha “não entra” caso o veículo esteja em movimento.

N (modo neutral ou Ponto Morto) é o ponto que o carro fica com as rodas livres e nenhuma marcha engatada.

D (modo drive ou dirigir) que é o modo usado em quase todo o tempo que você dirigir o carro, e as marchas vão mudando conforme a necessidade. Sem você ter que se preocupar em mudá-las.

Os modos M, D3 e D2 são modos utilizados para quem quer trocar de marchas manualmente ou quer limitar quais marchas automáticas serão usadas.

603_corolla_11

Não fiquem preocupados. É realmente muito fácil dirigir um carro automático.
Algumas dicas:
Coloque a sua perna esquerda o mais longe possível dos pedais e use somente sua perna direita para acelerar e frear. Tente esquecer que a sua perna esquerda existe, já que o carro automático não possui embreagem e se você tentar pisar numa embreagem inexistente, vai acabar pisando no freio.
Em quase todos os modelos de carro, você só conseguirá tirar a chave da ignição e também dar partida no carro se a alavanca de câmbio estiver no modo P. Além disso, para dar partida no carro, também é preciso pisar no pedal do freio.
Como nos carros de transmissão manual, na hora de pisar nos pedais do freio e do acelerador, pise levemente e pouco a pouco.

Chegando a Orlando
O Aeroporto International de Orlando fica localizado na “Zona Leste” da cidade e há vários caminhos possíveis para se chegar até as regiões onde a maior parte dos hotéis está localizada. Os mais tradicionais são através das rodovias 417, que vem margeando a cidade ao sul, ou a 528 que corta a cidade ao meio. Ambas rodovias “desembocam” na I-4, então não importa muito a que você escolher dirigir, todos os caminhos levam ao mesmo lugar. Além disso, as duas possuem pedágios em seu curso, por isso esteja preparado para pagar alguns poucos dólares para chegar até o seu hotel.

placa i-4

A saída do aeroporto é extremamente bem sinalizada, então assim que pegar o seu carro alugado, vai ser fácil sair da região do aeroporto e pegar uma das estradas que te levam a Orlando.

Você pode alugar um GPS na locadora do seu veículo, comprar um dentro do aeroporto (existem algumas “vending machines” da Best Buy Express no próprio terminal), comprar um em alguma loja ou supermercado próximo, baixar um app de GPS offline no seu celular, ou se tiver um chip de celular com dados nos EUA, usar o Waze. São várias alternativas pra quem quer fugir do velho mapa.

Como muitas cidades dos EUA, dirigir em Orlando fica mais fácil se você pensar nos pontos cardeais: Norte (N – North), Sul (S – South), Leste (E- East) e Oeste (W – West). O aeroporto internacional fica no extremo Leste da cidade. Já o complexo da Disney fica no extremo Oeste. Ao Norte, você encontra Downtown Orlando, o complexo da Universal e pontos de compras importantes como o Mall at Millenia e um dos dois Premium Outlets. No extremo Sul, se localizam as cidades de Lake Buena Vista, Celebration e Kissimmee.

Orlando é cortada por diversas rodovias, sendo a mais importante, a I-4. É por essa inter-estadual que passam todos os pontos mais importantes da cidade e sem dúvida, todo mundo que vai passar alguns dias em Orlando, vai dirigir muito pela I-4. As outras rodovias são numeradas, mas você só vai precisar conhecer duas ou três delas no máximo. Além dessas, existe a Turnpike, que é a rodovia que liga Miami a Orlando.

A I-4 faz o caminho Leste-Oeste, então você vai reparar que sempre que for acessá-la, poderá dirigir ou no sentido W (Oeste) ou no sentido E (Leste). Como ela corta a cidade na diagonal, sempre que você pegar o sentido W, irá dirigir meio que para baixo e sempre que pegar no sentido E, para cima. Se você pegar a I-4 no sentido W, vai depois de 1h chegar em Tampa, onde fica o parque Busch Gardens.

Outra importante via que corta Orlando de Norte a Sul é a famosa International Drive. Essa grande avenina começa no Norte da cidade, bem em frente ao Premium Outlet e acaba no Sul, em Lake Buena Vista, bem pertinho de uma das entradas da Disney.

O trecho da International Drive que vai do Sea World até o Wet ‘n’ Wild é o mais popular, com dezenas de hotéis, restaurantes, lojas e pequenas galerias. É nesse trecho também que a maior parte dos turistas se hospedam e como consequência tem sempre um pouco trânsito.

Orlando tem sempre muita música e entretenimento. Jante, compre e dance nos complexos de entretenimento, que inclui os Parques da Disney World, Universal Studios, Church Street District em Downtown Disney Area, a Universal CityWalk e Pointe Orlando, além da International Drive. O novo I-Drive 360 proporciona várias opções de restaurantes e diversão para toda família, incluindo a roda gigante Orlando Eye, o Museu de Cera Madame Tussauds Orlando e o Sea Life Orlando Aquarium.

Orlando é o lugar de gente feliz!

Leia também: Saiba as regras para uso de cadeirinhas para crianças nos carros em Orlando e Miami.