Eliseu Caetano repórter do “Planeta Brasil” conquista a América com carisma e profissionalismo.

3
1977

Jovem promissor, carioca de 31 anos, formado em jornalismo, falou um pouco sobre seus projetos e o seu trabalho no programa Planeta Brasil, da Globo Internacional com Val Campello do Blog Miami é Florida.

1 -Onde você nasceu?
Tenho 31 anos, sou vascaíno roxo, apaixonado pelo carnaval da Grande Rio, filho de um militar com uma dona de casa. Nascido e criado em Niterói, Rio de Janeiro, mas passei boa parte da adolescência na Baixada Fluminense do Rio, onde mora minha família materna. Na fase adulta da vida morei na Barra da Tijuca, onde estudava, e depois mudei para a Zona Sul do Rio, onde fiquei até vir para os EUA. Ou seja: mudei a beça.

Eliseu RJ

2 -Como iniciou na carreira e quais foram seus trabalhos?
Sempre quis fazer TV, e no final da adolescência acabei tendo a oportunidade de fazer alguns trabalhos como ator convidado em novelas da TV Globo. Ali tive certeza que TV era o que queria fazer para o resto da vida. Mas me faltava algo, e esse algo eu descobri através de uma amiga que me indicou fazer faculdade de Jornalismo. Segundo ela: “a minha cara”. E foi mesmo. Mal eu ingressara na universidade e doze dias depois já batia na porta da RedeTV, criada poucos anos antes e cheia de oportunidades, para tentar um estágio. A minha cara de pau deu certo. Fiquei na RedeTV por 5 anos, passei por todos os setores da redação de departamento de jornalismo e esportes. No primeiro dia de formado fui contratado repórter. Fiquei 3 meses.

Logo surgiu um convite da TV Brasil, a antiga TV Educativa do Rio de Janeiro para eu ser repórter lá. Aceitei o desafio e permaneci na primeira TV pública federal do país por quase 3 anos, até que fui chamado para um novo desafio: ir para o SBT, na época a segunda maior rede de TV do Brasil e para fazer um telejornal ancorado pelo mestre de profissão e excelente companheiro Carlos Nascimento.

Fiquei poucos meses no SBT, logo fui convidado pela Globo para entrar no quadro da Globo Rio. Lá fiz os telejornais Bom Dia Rio e RJTV 2 Edição. Depois tive uma passagem rápida pela TV da Assembléia Legislativa do Rio e em seguida um novo desafio me trouxe para a América e desde 2014 estou aqui na equipe do Planeta Brasil.

3 – Mudar para aos EUA foi uma escolha pessoal ou uma decisão da emissora?

No início foi uma decisão pessoal. Queria muito passar uma temporada fora aprendendo outros idiomas e conhecendo novas culturas. Daí os desejos casaram.

4 – Foi difícil tomar essa decisão de mudar para outro país?

O legal de ter um pai militar que mora numa cidade bacana e uma mãe dona de casa que vive uma vida super simples hoje me ajudam muito no Planeta Brasil e nessas tomadas de decisão, porque consigo ser simples e ser sofisticado ao mesmo tempo. Manter os meus pés no chão e focar naquilo que quero, sem ficar sofrendo muito.

Então respondendo sua pergunta: não, não foi difícil não. Porque sabia o que queria, tenho plena consciência de que nada é para sempre nessa vida e isso me ajuda a compreender que tudo passa e que eu devo aproveitar o que puder. De bom pra ser feliz e de ruim pra evoluir, aprender, crescer.

Hoje eu estou no Planeta Brasil na Globo em Nova York, amanhã posso estar noutro lugar fazendo outra coisa… o jornalismo é minha profissão, mas não é tudo que sei e posso fazer. Posso ser pedreiro, garçom, ator, modelo que não posso porque estou gordinho e ficando careca. Risos.

Eliseu NY5 – Quais foram as maiores dificuldades encontradas na sua profissão?

Val, desde o inicio sabia que a profissão era bastante concorrida. Tem muita gente boa querendo entrar, muita gente boa querendo se manter… mas nunca foquei nisso não. Sempre pensei em fazer o meu melhor, em me diferenciar naquilo que fosse possível e necessário. Sei que tem caras mais bonitos e até mais inteligente do que eu na TV, mas no fim das contas todo um conjunto de fatores colabora. Eu sou um cara muito espiritualizado e acredito que DEUS têm coisas para cada um de nós. O que eu vivo é isso, é meu. As dores, labores, amores, sonhos, realizações, tudo.

6 – Como é ser um imigrante e conviver com a saudade de familiares e amigos?

É bom e é ruim. O bom é viver algo novo, se permitir, descobrir… o ruim foi isso que você disse na pergunta: a saudade. Oh palavrinha que dói viu. Eu sou muito ligado aos meus amigos e conviver longe deles não é fácil. Sou um cara cheio de pai, mãe, irmãos, primos… tudo emprestado… e estar longe dos meus amores não é fácil. Mas eles entendem que é importante pra mim e eu aceito como diria a escritora Marla de Queiroz: “Larga e profundamente” tudo aquilo que Deus tem pra mim. Aqui ou em qualquer outro lugar do mundo.

Eliseu e amigos

7 – Você já está adaptado as costumes e a gastronomia da América?

Adaptacão: Bem, agora já tô né. Na verdade agora que rolou mesmo. O inicio foi uma maravilha… aí veio o inverno, o fim de algumas histórias pessoais veio junto, mudei de Nova York pra New Jersey, adotei um cão… a vida aqui muda muito rápido, mas agora que tô me sentindo mais em casa, mais a vontade mesmo… pudera um ano e meio aqui também né. Risos.

A gastronomia é uma das partes que mais gosto. Todo mundo que assiste ao Planeta Brasil sabe que sou comilão nas pautas. Não sou gordinho à tôa não. hahahaha

Eliseu 3

8 – O que mais o fascinou em Nova York e no povo americano?

De NY a correria… a cidade não para. Do Americano: a educação.

9 – vc tem alguma mania?

hahahaha… tenho manias sim: de casa limpa, por exemplo. Detesto bagunça. Até convivo bem por um tempo… mas não resisto a uma vassoura. hahahaha

10 – E o coração do Eliseu como está?

Coração tá bem.. estava namorando, mas acabou há pouco tempo. Logo: tô solteiro!!!
Ela era do Rio e eu morando aqui… namorar a distancia é dificil né?

11 – Ny tem muito lazer, shows, peças teatrais, baladas você curte tudo isso?

Sabe que sobre baladas tô bem calmo! Até saio eventualmente, para alguns eventos, teatros… mas tô mesmo é querendo curtir o dia, o sol, o calor em NY…

12 – E como é o assédio das fãs ?

É engraçado… porque é novo pra mim também né? mas lido numa boa… não tenho problema algum em ser reconhecido/ abordado…

13- Como é o seu dia a dia na Big Apple?

O meu dia a dia é bem simples, Val. Eu acordo bem cedo todos os dias pra ir para aula de inglês. Moro em Newark, mas estudo em Manhattan. Agora decidi malhar pra ficar sarado, então sempre depois passo na academia.. depois almoço e aí é pegar no batente e ir trabalhar. Porque tem a produção, as reuniões de escolha das pautas, as gravações, depois tem que escrever o roteiro das matérias…e por aí vai…
Graças a Deus! Gosto de dias cheios… me dá a sensação de estar vivendo plenamente sabe? Aos sábados ainda faço vez ou outra ações sociais e domingo ajudo na igreja onde frequento. Ou seja: não paro.

Eliseu 4

13 – Você é consumista?

Zero. Levo uma vida bem simples até… somente compro coisas se de fato preciso, senão nem me lembro de comprar.

14 – O que significa para você a grande audiência do Planeta Brasil e o número de fãs que admira seu trabalho, seu carisma mundo a fora?

Fazer parte da equipe porreta do Planeta Brasil sem dúvida nenhuma foi um dos melhores presentes de Deus pra mim. A boa audiência e a enorme repercussão do programa e dos repórteres nas redes sociais só confirmam isso. Me sinto agraciado e sou profundamente grato a todos da TV Globo e da FJ Productions que acreditaram em mim e no meu potencial para essa missão. E claro: sou grato demais a todo mundo que assiste, a todo mundo que aceita participar e dividir suas histórias… aqueles que mandam idéias, sugestões, participam sabe? É uma delícia!!!!

Eu tô curtindo bastante fazer o programa, me divertindo mesmo.. e a turma de casa sabe disso… eu brinco, implico … rio… me emociono… to ali por inteiro, de verdade mesmo. E na TV não tem como enganar o povo de casa.

Eliseu, Fernanda Pontes e equipe.

15 – E quais são seus planos para o futuro?

Futuro? Ah o futuro a Deus pertence…eu vivo o hoje. Quero ser feliz, estar bem e fazer o bem hoje.

16 – O que vc tem a dizer aos brasileiros que vivem no exterior buscando uma vida melhor e aos que sonham com essa oportunidade?

Bem que pergunta difícil a sua hein?! Caramba! Quem sou eu pra dizer algo sobre isso que é tão pessoal né?! Mas olha: sei que o famoso “American Dream” não é fácil, mas o que não podemos é deixar para trás os nossos sonhos, as nossas vontades, aquelas coisas que nos movem para frente. Tudo tem seus prós e contras. Tudo tem dores, aprendizado e também alegrias. Então se quer: viva e faça valer. Corra atrás de seus objetivos porque essa vida passa e bem rápido.

3 Comentários

  1. O que falar do Eliseu?
    Eu minha esposa, Andréa, deixamos nossos votos de felicidade e sucesso nesta nova empreitada em sua carreira. Pessoa de ótimo caráter, tem todo o apoio dos Amigos e seus Familiares pois soube batalhar o seu espaço com muita honestidade e respeito por todos por onde passou. Viva seu momento Amigo, desfrute e curta cada possibilidade de ascensão profissional que a sua carreira lhe permitir. Você é um cara do bem e merece todo o nosso respeito e admiração pois sabemos a educação e os valores da vida que recebeu.

    Sucesso e continue brilhando!!!

    Geraldo e Andréa

  2. O Eliseu Caetano finge ser um cara bacana, ate cair a mascara. Traicoeiro, come quieto, pega homem e finge que nao, engana as pessoas e ainda vai enganar a Globo. Aguardem!!!!!!!

  3. Embora queira encher esse espaço com mil palavras de apreciação pela matéria e pela vida do entrevistado , vou tentar deixar poucas palavras. PARABENS pela grande matéria e que Ele Eliseu Caetano merece tudo isso e muito mais, pelo seu trabalho, caráter personalidade, pela sua inteligência, sabedoria no pensar e no agir. ELE sabe de onde vem e é coerente, ligado a tudo; sabe reconhecer e ser grato, Ele é Filho de Deus por isso tão abençoado recebera outras cem vezes tanto é o meu e o desejo de todos os que o amam. Parabéns a Val e ao Eliseu Caetano!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here